Dicas

Piscinas Cobertas: Saiba os benefícios e quais as opções para escolher

Embora seja necessário investir em infraestrutura para fazer a construção em um ambiente fechado, maior privacidade, conforto e segurança estão entre as vantagens de ter uma piscina coberta.

Por que ter?

Destaque há algum tempo em projetos de arquitetura e construções personalizadas, as piscinas internas são ótimas alternativas para quem quer garantir aquele mergulho relaxante em qualquer época do ano. Sem contar que esse tipo de piscina ajuda a criar integrações com outros ambientes da casa, garantindo também um belo efeito estético.

Questões como a facilidade de manutenção da temperatura e da limpeza tornam essa alternativa ainda mais interessante.

Além desses pontos, existem outras vantagens que podem te convencer a optar por uma piscina coberta! São eles:

 

1. Privacidade

Em casos de piscinas em espaços públicos ou em locais mais abertos, por ser fechada a piscina coberta preserva os usuários podendo ser usada em qualquer hora do dia ou da noite, sem chamar a atenção de outras pessoas.

 

2. Proteção à exposição de efeitos climáticos 

A cobertura garante menor exposição ao sol, proporcionando maior conforto aos usuários. No caso de haver teto retrátil, a quantidade de exposição ao sol fica à critério da escolha de seus frequentadores.

 

3. Segurança 

Para quem possui crianças ou animais de estimação, uma piscina aberta pode ser um sinal de risco. Um ambiente coberto pode resolver esse caso sendo possível trancar o ambiente no qual está a piscina.

 

4. Facilidade de limpeza 

A piscina coberta está mais protegida de insetos, poeira e folhas secas, o que torna a limpeza mais simples e rápida. No entanto, é importante reforçar que o tratamento químico da água é necessário da mesma forma. 

Outro fator positivo é que, em ambientes fechados, tanto a água quanto os produtos utilizados sofrem menor evaporação.

 

5. Conforto Térmico

A cobertura da piscina acaba permitindo que a temperatura da água permaneça mais estável, o que aumenta a eficiência do sistema de aquecimento. Em ambientes externos o tempo de aquecimento acaba sendo maior e em sistemas de aquecimento elétricos ou a gás, o custo de manutenção se eleva.

Qual tipo de cobertura escolher?

As piscinas internas podem ter tipos distintos de cobertura (fixa ou retrátil), que permitem o uso em qualquer época do ano, independentemente da temperatura. Em alguns casos, o material utilizado na cobertura proporciona um efeito similar ao de uma estufa, contribuindo para o conforto térmico mesmo nos meses mais frios do ano.

A construção de uma piscina parcial ou totalmente coberta pode parecer simples, porém o profissional responsável pelo projeto irá oferecer uma ampla gama de opções, sendo elas:

  • policarbonatos com estrutura em alumínio
  • policarbonatos com estrutura em aço
  • fechamento em vidro temperado, com estrutura reforçada devido ao peso do vidro
  • fechamento em policarbonato alveolar – semelhante ao vidro em termos de resistência, mas de baixa transparência
  • policarbonato compacto – semelhante ao vidro
  • retrátil motorizada com abertura de até 100% dependendo do projeto, podendo ser acionada por controle remoto
  • customizadas – design, cor e tipo de estrutura sob projeto
  • deck retrátil muito utilizado em trilhos para cobertura de piscinas e ampliação da área do quintal/jardim
  • cobertura inflável
  • capa de proteção em vinil com cordas laterais fixadas no piso externo

Entre tantas opções, os materiais que mais se destacam para a cobertura de piscinas são os policarbonatos (alveolar e compacto) por serem mais resistentes do que o vidro e oferecer proteção contra raios ultravioleta. Esse tipo de cobertura conta com estrutura de alumínio, para evitar corrosão. 

Por outro lado, as estruturas de vidro temperado custam um pouco mais caro, mas oferecem maior resistência e longevidade, mesmo que fiquem completamente expostas às intempéries do tempo. 

Apesar de a cobertura de policarbonato com estrutura de alumínio ser a que apresenta mais vantagens, nem sempre essa opção é a mais acertada, sendo fundamental analisar o projeto da piscina e levantar suas características e, com base nessas informações, são especificados os materiais ideais para cada projeto.

É importante reforçar que a escolha dos materiais que serão utilizados devem ser especificados por profissionais com alto conhecimento para garantir a especificação adequada em relação às necessidades do usuário e às exigências técnicas e de segurança, considerando as características de envelhecimento e comportamento sob a influência de intempéries. Caso contrário, um dimensionamento incorreto pode acabar superaquecendo a água da piscina ou impedindo o ar de circular!

Alguns cuidados que precisam ser tomados

Atualmente, ainda não há uma norma específica para coberturas de piscinas. Contudo, critérios de segurança e qualidade devem ser observados com base nas especificações dos fabricantes.

 

Um outro ponto é que, a longo prazo, a umidade em piscinas cobertas pode transformar o espaço dos sonhos em uma verdadeira fonte de dor de cabeça! Isso porque o ambiente mais aquecido é ideal para o aparecimento de algas e bactérias na piscina, além de favorecer o acúmulo de umidade ao redor dela. Em outras palavras, sem os devidos cuidados, a longa exposição à umidade e à ação de microrganismos pode causar danos permanentes na estrutura da piscina e, até mesmo, em seu entorno.

 

É por isso que os cuidados com a umidade em piscinas cobertas e internas devem começar já na fase do projeto. O ideal é que toda a estrutura seja planejada para permitir uma boa circulação de ar e garantir que a área receba o máximo de luz natural possível. Além disso, a própria cobertura deve ficar a pelo menos 4 metros do nível da água, evitando que a evaporação natural do cloro danifique a estrutura.

 

Outro cuidado bem importante com as piscinas internas e cobertas está na impermeabilização. Se for bem realizada, ela vai ajudar a impedir que as estruturas sejam comprometidas pela umidade, fazendo com que fiquem mais resistentes contra desgastes, fissuras, fungos, corrosão das armaduras, deterioração do concreto, descascamento de pinturas, entre outros problemas.

 

No entanto, esses pontos não são motivo para desistir da opção de cobertura na piscina! No fim do dia, a água vai exigir apenas um pouco mais de cuidado e atenção — nada que a utilização de alguns produtos específicos de multi-ação e uma manutenção mais constante não resolvam…

Seguindo alguns cuidados importantes e contando com profissionais especializados é possível desfrutar do seu espaço de lazer sem preocupações em todos os momentos do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *