Piscina iluminada demonstrando a importancia do comando e fonte

O que considerar para a escolha do comando e fonte?

Para ter uma piscina iluminada não basta apenas adquirir refletores, pois sem as fontes ou comandos, eles não cumprem sua função! Porém, pouco se fala a respeito disto. Se você quer entender melhor a influência das fontes e comandos na iluminação da piscina, este artigo vai te ajudar muito.

Primeiramente, acreditamos que é importante alinhar os termos:

  • A caixa de comando, ou controladora, é para refletores coloridos (RGB) e tem a função de guiar os leds para usar suas cores de acordo com o desejado. Além disto, pode proporcionar o controle da intensidade da luz e o programa de efeitos (inclusive a velocidade deles). Ela também pode ser usada para refletores monocromáticos, proporcionando controle da intensidade da luz.
  • A fonte tem a função de energizar os refletores para seu funcionamento. Algumas caixas de comando já têm a fonte acoplada. Em outros casos, eles podem ser adquiridos separadamente.

 

Agora que já temos os termos alinhados, vamos falar um pouco das características desses equipamentos e também dar algumas dicas de como escolher o comando e fonte ideais.

Caixas de Comando

As caixas de comando da Cristal Led Inox possuem um sistema de fonte chaveada. O que isso significa? Significa que elas são capazes de controlar a tensão de saída, ou seja, ela filtra as variações de tensão na entrada, ajudando a controlar a tensão enviada para os leds, evitando danos e aumentando a sua vida útil. Isso vale para a fonte também.

É justamente por este motivo que não recomendamos o uso de transformador para instalação de refletores, pois ele, diferentemente das fontes chaveadas, transfere qualquer variação de tensão que receba para os circuitos que ele serve. E essas variações podem danificar os leds.

Fontes

As fontes da Cristal Led Inox são ideais para aplicações onde existe um risco de infiltração ou excesso de umidade, pois contam com grau de proteção IP67. Seu corpo de alumínio anodizado garante o resfriamento (passivo) adequado sem necessidade utilizar coolers ou ventoinhas (circulação forçada). 

As fontes podem ser usadas para energizar diretamente refletores monocromáticos em casos onde não existe a necessidade de controle da intensidade de luz ou uso de controle remoto. Também podem ser usadas para energizar refletores coloridos (RGB) com o auxílio da Caixa de Comando/Repetidora IoT da Cristal Led Inox. 

Nossas fontes contam também com um sistema de feedback, que garante que os LEDs sejam sempre alimentados com 12v, independentemente da corrente que está sendo consumida por eles. Vale lembrar que fontes chaveadas são mais eficientes, mais leves, mais compactas e mais seguras que fontes lineares (transformadores comuns), garantindo que se obtenha sempre 12v na saída, independentemente das variações da rede elétrica na entrada da fonte.

Conclusão

Em resumo, para escolher a caixa de comando ideal, você deve considerar:

  • A cor dos refletores;
  • Se gostaria de controlar a intensidade da luz ou não;
  • A possibilidade de fazer o controle também por interruptor à distância;
  • Se gostaria de fazer o controle por aplicativo de celular. 

Com essas respostas, é possível escolher entre as caixas de comando automação, controle touch, comando à distância ou Iot. Ou talvez, uso apenas da fonte.

O mais importante é saber que adquirindo nossas caixas de comando ou fontes, você está optando por um produto que otimiza o desempenho dos leds e contribui para que eles tenham uma vida útil maior.

Na hora da instalação, não se esqueça de pensar nos detalhes da rede (caso for utilizar). Demos dicas valiosíssimas em um de nossos posts e você pode conferir clicando aqui.

Redes, cabos e perda de tensão

Sabemos que muitas piscinas usam uma rede elétrica para conectar os refletores, por isso é preciso entender um pouco mais sobre o funcionamento de circuitos elétricos com tensões de 12v e quão importante é um dimensionamento correto dos cabos para trabalharmos nas condições ideais para o refletor.

Um cabo para uma rede de refletores mal dimensionado pode resultar em grande variação de intensidade luminosa dos refletores conectados nele ou até mesmo o não funcionamento dos mesmos.

Para evitar esse tipo de problema temos que entender um pouco mais sobre perda de tensão nos cabos e devemos lembrar que sempre estamos trabalhando com tensões muito pequenas (12v) e que qualquer perda de tensão é muito significativa.

Exemplificando uma perda de 1v em uma rede de 110v resulta em uma tensão final de 109v, o que representa menos de 1% de perda, o que é irrelevante. Já uma perda de 1v em uma rede 12v é equivalente a 8,33% de perda, tendo por tensão final 11v.

Certo. Porém como é calculada a perda de tensão de um cabo?

A equação para calcular a perda de tensão em cabos é bem complexa e contém muitas variáveis, como: material do cabo (cobre, alumínio, prata, ouro…), temperatura de operação do cabo, frequência de trabalho da rede, conexões/conectores, seção nominal do cabo, comprimento da rede, corrente da rede, tensão aplicada na rede…

Para simplificar esta equação, podemos assumir que algumas dessas variáveis, na maioria das vezes, vão permanecer constantes, como o material do cabo (cobre), temperatura, frequência, conectores. Desta forma chegamos a seguinte equação:

Perda de tensão (v) = corrente da rede (a) x resistência do cabo(Ω)

A corrente da rede é a variável que leva em conta o número de refletores x a corrente de cada refletor. (o refletor de 10w tem uma corrente aproximada de 0,83a, o de 20w 1,66a e o de 25w 2,08a).

A resistência do cabo é a variável composta pela resistência em ohms por metro de cabo. Essa resistência varia em função da seção nominal (mm²) do cabo. Quanto maior a seção nominal, menor será sua resistência. (o cabo de seção nominal de 0,5mm² tem um resistência aproximada de 0,039Ω/m, o de 1,5mm² 0,0133Ω/m, o de 2,5mm² 0,00798 Ω/m, o de 4mm² 0,00495Ω/m, etc.).

Exemplo 01

Desejamos colocar 10 refletores de 10w em uma rede que saindo da caixa de comando até o último refletor dela tem 30 metros de comprimento usando um cabo de 4mm².

Perda de tensão(v) = (10×0,83a) x (0,00495 Ω x 30m) perda de tensão(v) = 8,3a x 0,1485 Ω
Perda de tensão = 1,23255 v

Consideramos que uma perda de tensão aceitável para os refletores da cristal led inox é de até 10% da tensão de trabalho do refletor, sendo que os refletores da cristal led inox trabalham em uma tensão nominal de 12v, então a perda de tensão aceitável seria de 1,2v.

No exemplo acima, a perda de tensão está em 10,27%, sendo bem próxima dos 10% aceitáveis, então podemos dizer que a rede poderá ser feita com cabos de seção nominal de 4mm².

Vale lembrar que podemos trabalhar com cabos em paralelo para aumentar seção nominal da rede, diminuindo sua resistência e consequentemente diminuindo sua perda de tensão. Como a seção nominal é inversamente proporcional a resistência do cabo, multiplicando a seção nominal do cabo, você divide a sua resistência pelo mesmo valor.

Mm² ↑ Ω ↓ ou mm²↓ Ω↑

Exemplo 02

Desejamos colocar 15 refletores de 25w em uma rede que saindo da caixa de comando até o último refletor da rede tem 20 metros de comprimento usando dois cabos de 2,5mm² conectados em paralelo.

Perda de tensão(v) = (15×2,08a) x ((0,00798Ω / 2) x 20m) perda de tensão(v) = 31,2a x 0,0798 Ω
Perda de tensão = 2,48976 v

Com esta configuração de rede e cabos chegamos em uma perda de tensão de 2,48976v, o que representa 20,74% de perda de tensão. Neste caso a solução é mudar para um cabo de maior seção nominal.

Para que você não tenha que refazer estes cálculos sempre que for montar uma rede de refletores, desenvolvemos uma calculadora para simplicar sua vida.

 

Acesse qualquer refletor na página de produtos clicando aqui e faça a sua simulação.

Vamos falar sobre adaptabilidade?

Quando projetamos uma piscina, procuramos nos atentar à todos os detalhes. Fazemos as devidas especificações, dimensionamento, projeto e planejamento. Porém, a não ser que estejamos no mundo da Alice (no País das Maravilhas), podemos nos deparar com imprevistos que a princípio não temos ideia de como resolver.

Com o avanço da tecnologia, muitas possibilidades se abriram e hoje, queremos compartilhar um estudo de caso super bacana envolvendo tecnologia, inovação e a personalização do trabalho que fazemos!

Uma piscina foi projetada para usar apenas tubos de cobre em sua hidráulica. Em geral, é sabido que tubos de cobre não usam medidas padrão para piscinas, de modo que os refletores e dispositivos não encaixariam nesses tubos.

A fabricação das peças sob encomenda por muitas vezes têm um custo tão alto que inviabilizaria a obra. Por isso, a Cristal tem profissionais técnicos qualificados para desenhar e desenvolver adaptadores dos mais diversos e variados a fim de proporcionar soluções práticas, resistentes e acessíveis para seus clientes.

Ao sermos consultados, prontamente coletamos as informações relevantes e desenvolvemos sob medida, os adaptadores para a instalação dos dispositivos e fizemos as recomendações de instalação.

 

Veja a demonstração na animação a seguir:

Da mesma forma, temos capacidade técnica e produtiva para adaptar dispositivos e até refletores para outros tipos de tubos que não são padrão, como é o caso dos tubos para aquecimento (Aquatherm).

Vale ressaltar que para que a adaptação seja feita com sucesso, é de suma importância que recebamos as medidas exatas do diâmetro interno do tubo, preferencialmente tiradas com o auxílio de um paquímetro e em mais de 1 ponto, pois alguns tubos podem ser ovalados.


Se você se deparar com uma situação semelhante, não hesite em nos procurar. Certamente procuraremos uma solução aplicável e faremos o possível para te atender, respeitando os mais elevados níveis de segurança e qualidade necessários na hora da execução do projeto de uma piscina.

Dimensionamento de iluminação para piscinas

Seja você cliente final, lojista, eletricista, projetista, engenheiro, mestre de obras, arquiteto ou apenas um curioso, esse artigo foi escrito para que você tenha informações objetivas e muito relevantes sobre dimensionamento e iluminação para piscinas.

Quando pensar dimensionamento de iluminação para piscinas?

O momento ideal para dar atenção ao dimensionamento de iluminação da piscina é ainda no briefing do projeto, pois é muito importante considerar o modelo de refletor desejado uma vez que isto pode ter influência, por exemplo, em quais tipos de tubo deverão ser chumbados para a instalação, uso de caixas de passagens ou não e posicionamento adequado.

Frequentemente deixa-se a discussão para o final da obra e consequentemente depara-se com problemas de execução.

Um exemplo disto são nossos refletores Mini Slim e Mini Quadra. Eles têm um design exclusivo, super discreto e elegante. Entretanto, só podem ser instalados em tubos de PVC de 50mm ou 60mm (com adaptação). Em alguns casos, eles são apresentados aos clientes finais quando as passagens (tubos) já estão chumbadas na piscina. Porém são tubos de 20mm ou 25mm. Assim sendo, fica inviabilizada a possibilidade de usar esses modelos.

Ademais, é importante frisar que se não forem observadas as orientações de dimensionamento quando da execução do projeto, pode ser que não haja possibilidade de correções. Ou fica como está ou é necessário quebrar tudo e refazer, o que certamente acarretaria em despesas não previstas e até prejuízos irreparáveis.

O que discutir para o dimensionamento de iluminação para piscinas?

De acordo com nossa experiência, na maioria das vezes em que o cliente final fica insatisfeito é porque faltou alinhar algum ponto muito relevante durante o briefing. Então segue uma lista de sugestões a serem discutidas ainda na fase pré-projeto:

  • Qual tipo de dispositivos e refletores serão usados na piscina?
  • Quais linhas e modelos agradam mais o cliente final e harmonizam com o restante do projeto?
  • Como será o revestimento? De que material? Que cor?
  • O que o cliente espera em termos de efeito da iluminação? Quer uma piscina super iluminada ou algo mais discreto? Quer ter a possibilidade de controlar a intensidade da luz ou não? Quer ter opção de troca de cores ou usar apenas uma cor? Prefere tons mais frios ou mais quentes? Quer controlar os efeitos da iluminação por controle, interruptor ou aplicativo de celular?
  • De que forma a piscina se integra ao ambiente? Como é seu entorno?
  • A piscina terá hidromassagem?
  • Terá prainha? Terá borda infinita?
  • Qual o formato da piscina? Terá curvas?
  • Quanto se estima investir para a iluminação da piscina?

 

Enfim, lembre-se de que cada pessoa é única e tem suas preferências. Por isso, não assuma que o que você acha bacana vai agradar a todos. O briefing é super importante para a satisfação dos clientes e também para evitar transtornos.

Por que iluminar a piscina?

Primeiramente, dentre os principais motivos está a segurança do usuário. Em uma piscina iluminada é muito mais fácil de perceber caso uma pessoa ou animal de estimação tenha caído sem que ninguém estivesse por perto. Além disto, em áreas mais remotas, é possível identificar a presença de animais selvagens ou venenosos.

Ademais, caso a piscina tenha degraus ou quinas, a iluminação contribui para a segurança do usuário.
Decerto a iluminação da piscina também permite que os usuários possam aproveitá-la ao máximo, inclusive depois do pôr do sol. Além de que, com o uso de equipamentos adequados, ela pode também ser atrativo para uma festa, contribuir para a iluminação cênica do ambiente e claro, evidenciar a piscina!!

Ou simplesmente, porque uma piscina iluminada fica muito mais bonita.

Para ilustrar, veja abaixo a comparação de uma piscina com e sem iluminação:

Por conseguinte, em termos de investimento, a iluminação da piscina gira em torno de 0,01% em relação à construção da casa e 1% em relação à construção da piscina. Um valor praticamente irrisório em comparação aos benefícios que oferece.

Conceitos de Luminotécnica

Uma vez que foi encerrada a fase do briefing e com as decisões tomadas, vem o momento de entender quantos refletores devem ser instalados, suas potências e o dimensionamento de iluminação ideal. Antes de entrar nesta questão é importante que tenhamos alguns conceitos de luminotécnica alinhados:

  • Fluxo luminoso é a energia radiante luminosa instantânea, emitida entre as frequências de 380 a 780 nm (nanômetros) por uma fonte primária. A unidade internacional de medida (SI) que se utiliza é o Lúmen ( lm ), que mede, a quantidade de energia luminosa emitida num instante por um corpo luminoso na gama de frequências que vai dos 380nm (violeta) aos 780nm (vermelho).
  • Área iluminada é a superfície iluminada por uma fonte luminosa, expressa em m².
  • Iluminamento é o fluxo que incide numa determinada superfície expressa em m².

Posto que a unidade internacional de medida (SI) que se utiliza é o Lux ( lx ), que equivale a 1 lúmen por metro quadrado.

Via de regra, quanto menor a área iluminada desejada, maior é o iluminamento. Ou quanto mais longe o objeto a ser iluminado, mais lúmens serão necessários para um iluminamento ideal.

As cores:

As cores dos refletores BRANCOS são medidas por sua temperatura em graus Kelvin. Então quanto maior a temperatura, mais próximo do azulado o branco está e quanto menor a temperatura, mais próximo do vermelho. Por consequência, criou-se o termo “branco frio” e “branco quente” respectivamente.

Já os refletores COLORIDOS são compostos por 3 cores: vermelho (red), verde (green) e azul (blue). Por causa de seus nomes em inglês, chamamos os refletores coloridos de RGB (red – green – blue). Neste caso a indicação de cor é feita por comprimento de onda (nm), sendo de 440-485 nm a cor azul, de 500-565 nm a cor verde e de 625-740 nm a cor vermelha. Para exemplificar, mostramos no gráfico abaixo de que forma essas cores se misturam e quais tonalidades são resultantes dessas misturas:

O que considerar na hora de fazer o dimensionamento de iluminação?

  • Área de melhor aproveitamento: todos os refletores possuem uma área em que a luminosidade é maior. Ao passo que objeto a ser iluminado vai se distanciando, ela vai diminuindo. Por sito, pense sempre em usar a área otimizada a fim de evitar manchas e sombreamento.
  • Difração da luz: a forma como a luz se comporta na água é diferente da que se comporta no ar. E neste caso, a água pode ser aliada! É possível que a área ao redor do refletor seja iluminada em 180º (para refletores Cristal Led Inox) mesmo que o ângulo de abertura do led seja menor .
  • Espaçamento: para calcular o espaçamento entre os refletores é importante ter em mãos algumas informações relevantes, como o tipo e cor do revestimento e o formato da piscina. Ademais, será necessário fazer alguns ajustes em degraus, prainhas e acertos para que a distribuição fique harmoniosa.

 

Você pode se basear na tabela abaixo e ver mais detalhes em nosso vídeo, clicando aqui.

  • Alcance: o alcance do refletor também é influenciado pelos mesmos parâmetros do espaçamento, ou seja, quanto mais reflexivo e claro for o revestimento da piscina, maior será o alcance do refletor. Da mesma forma o contrário é verdadeiro.
  • Modelo: a escolha do modelo do refletor deve levar em consideração também as questões práticas do projeto, como tubos que estão (ou estarão na espera), harmonização com o revestimento e paginação, espaço e facilidade de instalação e claro, o gosto do dono da piscina.
  • Altura de instalação dos refletores: Nossa recomendação é que os refletores sejam instalados na metade da altura da lâmina de água para melhor desempenho.
  • Cabos: Para diminuir a perda de carga durante o processo de instalação, sugerimos que os refletores sejam confeccionados com os cabos no tamanho ideal para que possam ser conectados às suas caixas de comando sem o uso de emendas. Portanto é importante calcular as distâncias já na fase de dimensionamento.

Agora que essas informações estão alinhadas, pode se dar andamento ao projeto com menos possibilidades de riscos em sua execução e mais chances de clientes satisfeitos!

As diferenças entre Aço Inox 316 e 316L nos projetos de piscinas

Se você é lojista, construtor, projetista, arquiteto ou está de alguma forma relacionado à projetos de piscinas e quer saber quais as diferenças entre o Aço Inox 316 e 316L, este artigo é para você!

Os dispositivos para piscinas em Aço Inox ganharam espaço entre os lojistas, projetista e arquitetos da área de piscinas não só pela estética, mas pela característica do Aço Inox de maior durabilidade em comparação com outros materiais.

No entanto, os processos de manutenção de piscinas têm mudado e atualmente é imprescindível entender como essas mudanças podem afetar a durabilidade dos produtos em Aço Inox.

As características dos produtos em Aço Inox

De acordo com a Associação Brasileira do Aço Inoxidável (ABINOX), o Aço Inox é um tipo de Aço com uma composição química balanceada para ter uma melhor resistência à corrosão. Os produtos em Aço Inox, possuem características favoráveis ao manuseio, industrialização e manutenção. Tem uma aparência higiênica somada à um forte apelo visual, remetendo à prestígio, modernidade e leveza. Além disso, é reciclável, de fácil armazenamento e não sofre transformações físicas, químicas ou biológicas, preservando as características do Aço Inox.

Para ser classificado como um produto em Aço Inox, o Aço deve ter pelo menos 10,5% de cromo em sua composição, porque é este o componente que proporciona a resistência à corrosão do Aço (Inox), pois ao passo que entra em contato com o oxigênio, produz uma espécie de película protetora sobre o mesmo, que é capaz de se refazer quantas vezes forem necessárias.

Porém existem diversas formulações no mercado de dispositivos para piscinas para os produtos em Aço Inox, o que significa que nem todo Aço Inox têm as mesmas características e principalmente, a mesma durabilidade ou resistência a determinados agentes.
Portanto, seguem algumas informações relevantes para guiar sua escolha ou a do seu cliente, em relação aos produtos em Aço Inox   

Aço Inox: Composição e Famílias

As principais famílias são Aço Inox Austeníticos, Ferríticos e Martensíticos. Entretanto, neste artigo vamos focar na família dos Aço Inox Austeníticos, pois é nesta família em que se encontram os Aços Inox 316 e 316L, utilizados nos projetos de piscinas. Todavia, se você quer se aprofundar no assunto, pode encontrar mais informações aqui.

O Aço Inox Austenítico é uma composição de aço que possui ferro, cromo e níquel. Faz parte da família com característica do aço inox que melhor resiste à corrosão quando comparada com a dos Ferríticos e Martensíticos. Ademais é um material com baixa permeabilidade magnética, o que reforça ainda mais a sua resistência. Portanto é altamente recomendado nos projetos de piscinas, promovendo uma vida útil mais longa dos produtos em aço inox e ajudando a prevenir gastos com manutenção de piscinas no curto prazo.

Se quiser ler mais sobre Boas práticas para Limpeza e  Manutenção de Piscinas, temos um artigo explicando os tipos e fatores impactantes na vida útil das piscinas

Diferenças entre as características do Aço Inox 316 e 316L

Uma vez que você já se inteirou das características do Aço Inox e percebeu que os Austeníticos são os mais resistentes, chegou o momento de escolher o mais adequado para seus projetos de piscinas ou para os dispositivos de piscinas que você está buscando.

Os mais conhecidos no mercado de piscinas são o Aço Inox 304 / Aço Inox 304L / Aço Inox 316 e Aço Inox 316L. Todos são resistentes à corrosão, porém o Aço Inox 316 possui um elemento químico em sua composição que o torna mais resistente em comparação ao Aço Inox 304 e o Aço Inox 304L: o molibdênio. Os produtos em Aço Inox com esta composição deve suportar inclusive a água do mar.

Por fim, a característica do Aço Inox 316L, sendo o mais resistente de toda a família, tem também uma composição com menos carbono do que os demais, o que o previne da corrosão intercristalina ou intergranular, que é aquela que ocorre nos contornos do grão (do Aço).

Além de ser mais durável e resistente, o Aço Inox 316L contribui para a preservação do meio ambiente pois usa menos carbono em sua composição.

Aqui na Cristal Led Inox, utilizamos na nossa fabricação os produtos em Aço Inox 316L. Temos uma formulação exclusiva, que garante ainda mais a vida útil de nossas peças, com um processo de polimento super criterioso, que proporciona maior proteção e um acabamento impecável. Além de oferecermos 2 anos de garantia.

Relação entre o tipo de Aço Inox e a limpeza e manutenção de piscinas

Em busca de opções mais saudáveis ou apenas diferentes, o mercado encontrou soluções que preservam os usuários das piscinas e o meio ambiente mas nem sempre fazem o mesmo com os dispositivos para piscinas e refletores. Um exemplo disto são os geradores de cloro e o tratamento com ozônio. Fortes tendências usadas em projetos para piscinas novas ou até em reformas.

O sal, usado nos geradores de cloro e o ozônio (composto por oxigênio), podem diminuir a vida útil de alguns tipos de material, como o ABS e os produtos em Aço Inox (dependendo da sua composição).

Portanto, dê preferência aos produtos em Aço Inox 316L. Pois mesmo que você não use ou não pense em usar nenhum desses tratamentos para limpeza e manutenção de piscinas, futuramente você pode mudar de ideia. E, caso isso aconteça, não precisará investir na troca desses produtos!

Fontes: Arinox / Abinox